DEPRESSÃO: COMO POSSO ME AJUDAR?

Hoje em dia, já é mais do que comprovado cientificamente que a depressão é uma doença, estando, inclusive catalogada na CID-10 (Classificação Internacional de Doenças) da OMS (Organização Mundial de Saúde).
Compreendida como doença, a depressão requer tratamento medicamentoso com psiquiatra que é o médico especialista no tratamento de desordens psicoemocionais.
Mas, a atitude de autoajuda da pessoa com depressão é essencial para o sucesso do tratamento.
Alimentação: priorizar os alimentos naturais, como frutas e legumes para suprir necessidades de vitaminas e sais minerais; eliminar açúcar refinado, café e gordura, diminuir o mais possível os carboidratos simples, substituindo-os pelos complexos (integrais) que desequilibram nosso metabolismo, favorecendo os estados de desânimo, fraqueza, cansaço e ansiedade.
Repouso: procurar relaxar, evitar situações de estresse, dormir bem (nosso cérebro precisa de 8hs de sono para produzir o hormônio chamado de melatonina, que combate o cortisol, hormônio que provoca ansiedade).
Atividade física: principalmente a caminhada, para reduzir a ansiedade e aumentar a produção de serotonina, um dos elementos da química do cérebro, responsável pela sensação de bem estar.
Mudança de ambiente: evitar ambientes, atitudes e pessoas que causam estresse, ou provoquem angústia, medo e tristeza.
Terapia ocupacional: desenvolver hábitos de lazer e passatempos que ajudam a relaxar. Pintar, modelar argila, montar quebra cabeças, costurar, tricotar, fazer crochê, cozinhar, faça uma horta caseira, cuide de plantas, enfim descubra seus talentos e use-os para relaxar, manter sua mente ocupada com posturas construtivas e sentir autorrealização, o que ajuda no combate à baixa autoestima.
Vida social: somos criaturas sociais e precisamos manter relacionamentos significativos e saudáveis. O isolamento social nos adoece emocionalmente. Precisamos de amigos em quem possamos confiar que nos ajudem na caminhada de restauração da depressão.
Desenvolvimento de um relacionamento pessoal com Deus: pesquisas científicas demonstram que pessoas religiosas adoecem menos de depressão. A depressão pode ter causas existenciais, relacionadas à falta de significado e de um propósito maior de vida, medo do futuro e de morrer, vazio interior. Assim, cuidar da vida espiritual, desenvolvendo valores, crenças e atitudes espirituais saudáveis contribuem de forma significativa para reaver um sentido de vida e combater ideias de morte, comuns na depressão.
 
 
Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *