A DEPRESSÃO COMO SINAL DE FALTA DE SAÚDE EXISTENCIAL E ESPIRITUAL

A psicologia, atualmente, reconhece que o homem é um ser bio-psico-sócio-espiritual, ou seja, é um ser constituído de quatro dimensões: corpo – mente (cognição/emoções) – social – espiritual/existencial.

E, o conceito de saúde também mudou. Não é mais simples ausência de doença, mas, segundo o preâmbulo da Constituição da Organização Mundial da Saúde, saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças. E eu acrescentaria, existencial/espiritual.

A grande maioria, cerca de 80%, dos estados de depressão são resultado do desequilíbrio, da falta de saúde nas dimensões mental – social – existencial, segundo estatísticas da própria OMS.

E nossa sociedade pós moderna, a depressão é em grande parte uma doença existencial. Doença pela falta sentido, significado, propósito de vida, falta de perspectiva de futuro, desesperança.

SINAIS DE CRISE EXISTENCIAL

A crise existencial é natural do ser humano e, quando e resolvida pode representar uma oportunidade de transformação para a pessoa, de ressignificação de vida, de amadurecimento e crescimento pessoal.

Cinco principais sintomas que caracterizam a maioria das crises existenciais.

1. Estresse

Um dos sinais mais comuns de crise existencial. Mesmo a pessoa aparentando ser calma e tranquila, pode estar vivendo interiormente um caos emocional. Um turbilhão de pensamentos pessimistas, que tornam a pessoa extremamente ansiosa e esgotada.

2. Isolamento

Como a sua mente já está imersa em ansiedade, a pessoa busca isolar-se para tentar encontrar um ponto de equilíbrio em seus pensamentos. O cansaço mental também elimina qualquer tipo de vontade de convivência social, como sair com os amigos ou estar na companhia dos familiares.

3. Pessimismo e desânimo

Ideias e pensamentos derrotistas dominam a mente de quem passa por uma crise existencial, principalmente quando decorrente de um acontecimento impactante, como a morte de alguém, a perda de um emprego, atingir determinados anos de vida, entre outros.

Nestas situações, a pessoa tende a refletir sobre a sua vida, questionando os valores e decisões que seguia até aquele momento. Diante dessas perguntas sem respostas, surge a sensação de impotência e angustia.

4. Sentir-se perdido no mundo

Com a existência em reflexão, não sabendo como agir e o medo de um futuro incerto, brotam na alma os sentimentos intensos de incerteza, insegurança e impotência que, caso não corretamente conduzidos, acabarão por levar a um quadro depressivo.

5. Alterações do apetite

A constante ansiedade e nervosismo também provocam alterações de humor, sono e apetite, afetando o estado imunológico da pessoa, abrindo espaço para o surgimento de doenças de natureza alérgica e autoimunes.

Síria Giovenardi|Psicóloga

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *