Category Archives: Artigos

Artigos

PRIMAVERA EMOCIONAL


 
          O mês de setembro foi escolhido como o Mês Internacional do Combate ao Suicídio. Mas, uma coisa interessante é este ser o mês que dá início à primavera, no Ocidente.
          Compartilho com você, caro leitor ou leitora, minha reflexão sobre esta antítese entre morte e vida: muitas pessoas não cometem suicídio físico. Mas cometem suicídio emocional!
          A angústia provocada pelo sentimento de vazio interior diante de uma vida que pensam não ter sentido, propósito, esperança, sonhos, somente frustrações, decepções, desilusões; a carência afetiva resultante de sentimentos de rejeição reais ou imaginários, do desamor de quem deveria ser fonte de amor, do abandono emocional por parte de quem deveria acolher; o ressentimento, rancor, ódio e revolta que brotam das mágoas e injustiças sofridas; a autodesvalorização expressa nas dores do sentimento de inferioridade, baixa autoestima, inutilidade, incapacidade; todas essas aflições da alma podem levar a um sofrimento tão intenso a ponto de alguém suicidar-se, não tirando sua própria vida, mas cometendo suicídio emocional.
         O suicídio emocional é a busca pela anestesia, anulação, rejeição das emoções, através do desenvolvimento de vícios, compulsões e maus hábitos de toda sorte, desde o cigarro, drogas, álcool, até o trabalho, sexo, comida, redes sociais. Só para citar alguns dentre dezenas!
        Mas há esperança!
        Assim como a cada ano, após o inverno chega a primavera, podemos deixar florescer uma primavera emocional após um inverno emocional.
        Em todos nós, por mais árida que seja nossa vida, há sementes que nossas lágrimas regam e nossa fé no Poder Superior que tem nome próprio, Jesus, fazem florescer.
“Para uma árvore há esperança; se for cortada, brota de novo e torna a viver. Mesmo que as suas raízes envelheçam, e o seu tronco morra na terra, basta um pouco de água, e ela brota, soltando galhos como uma planta nova.” Jó 14:7-9
                                                                                                                     Síria Giovenardi
 
 
Artigos

O PERIGO DE SILENCIAR SENTIMENTOS

Quantas coisa guardamos diariamente? Escondemos o que sentimos? Enganamos quem está ao nosso redor? O que realmente acontece quando não conseguimos comunicar os sentimentos?

A verdade é que pode-se esconder tudo de todo mundo, mas o corpo sente e reage as agressões que são cometidas contra ele. Sem a fala, o próprio corpo se encarrega de expressar aquilo que não se está dizendo.

Mas porque guardamos tantas emoções?

Desde criança somos ensinados a reprimir sentimentos, basta lembrarmos daquelas famosas frases “segura esse choro”, “que feia essa cara emburrada “, “não tem motivo para ficar triste”.  Quando não aprendemos a expressar as nossas emoções de forma correta e somos reprimidos ao fazer isso, as emoções se tornam confusas para nós. Por esse motivo, muitos não conseguem se quer definir o que é a tristeza, a alegria, a raiva e o medo de forma coerente.

Em nossa família de origem, geralmente alguns sentimentos são mais aceitos do que outros e naturalmente aprendemos a expressar melhor estes do que aqueles. Existem pessoas que conseguem expressar melhor a tristeza e não tem nenhuma habilidade para demonstrar raiva. Outras tem facilidade em demonstrar raiva, mas não conseguem expressar alegria.

Aí que se dá a confusão! Geralmente preferimos expressar os sentimentos que temos mais facilidade, porque é mais confortável para nós. Por exemplo, ao invés de demonstrar raiva, a pessoa chora.  Ao invés de mostrar ansiedade, a pessoa ri. Com o tempo não sabemos nem mais o que realmente sentimos  e apresentamos dificuldades em  discernir os sentimentos,  nos equivocamos na expressão de nossas emoções, gerando uma confusão também para aquele que está interpretando nossos sinais. 

O que acontece com a comunicação dos nossos sentimentos?

  • Não sabemos o que sentimos

A nossa percepção falha das emoções nos impossibilita a comunicação daquilo que queremos expressar, pois não conseguimos entender o que realmente estamos sentindo, logo guardamos os sentimentos pois não sabemos o que comunicar.

  • Não conseguimos nos expressar adequadamente

Entendemos o que sentimos, mas expressamos de forma confusa, uma vez que nem sempre sabemos como falar. Quando expressamos nossos sentimentos de forma inadequadao receptor fica confuso e talvez não leve a sério aquilo que estamos comunicando.Muitas pessoas, então, desistem de falar, por achar que não está adiantando.

O fato é que quanto mais tempo nos calamos ou falamos de forma inadequada, mais doentes ficamos…

Ao silenciar abrimos caminho para que o nosso corpo manifeste o que queremos dizer. Então surgem as famosas doenças psicossomáticas, que nada mais são do que sinais de que algo não está bem.

O ajuste da percepção e da habilidade na comunicação dos sentimentos só acontece quando entramos em contato com a nossa história. O autoconhecimento, nesses casos, é fundamental e a mudança é lenta, mas é possível.

O falar de maneira correta possibilita que coloquemos limites e não sejamos mais machucados por outras pessoas, restaurando assim,  a dignidade, autoestima e controle. A fala nos defende nos momentos em que comunicamos o que está se passando no nosso interior. Além disso, pode propiciar um momento de exposição e argumentação que traz esclarecimentos e ajuda, levando o relacionamento ao nível maior de maturidade.

O melhor que podemos fazer por nós mesmos é trabalhar nossos sentimos, comunicar os nossos pensamos de forma adequada e nos liberar emocionalmente.

Pratique o falar com sabedoria e cuide de você mesmo!

Fonte: https://www.realmentemulher.com.br/single-post/2016/1/19/O-perigo-de-silenciar-sentimentos

Artigos

A AUTOESTIMA E A PROCRASTINAÇÃO

Um aspecto da vida que envolve a autoestima é o que chamamos de procrastinação, ou seja, a tendência em deixar para o dia seguinte o que se pode fazer hoje mesmo.

Os pesquisadores contemporâneos do campo da autoestima enfatizam que a capacidade de se controlar e a autodisciplina constituem fatores que favorecem uma ao autoestima.

A procrastinação nasce de uma falta de autodisciplina. Assim, se você fizer imediatamente o que tem a fazer, a sua autoestima vai aumentar.

Você é um (a) procrastinadora? Para saber, faça o seguinte teste:
Marque um X no que descreve melhor o que você sente e faz.

Nem um pouco

0

Às vezes

1

Com moderação

2

Muito

3

1.    Com freqüência penso comigo mesmo(a) que só vou fazer tal coisa quando tiver vontade.
2.    Irrito-me quando as coisas se mostram difíceis.
3.    Adio os prazos quando não estou com vontade de trabalhar
4.    Prefiro nada fazer a fracassar.
5.    Sou muito crítico (a) com relação a tudo o que faço.
6.    Nunca fico orgulhoso (a) dos meus resultados.
7.    Temo não obter sucesso.
8.    Sinto-me culpado (a) quando penso em tudo o que deveria fazer!
9.    Nunca tenho vontade de fazer as coisas que tenho a fazer
10. Detesto as pessoas que tentam me controlar e me dizer o que devo fazer.
Total

Se tiver obtido mais de 15 pontos, isso significa que você procrastina e a sua autoestima pode ser prejudicada por isso. Então, tome coragem, não deixe para amanhã o que pode realizar hoje.

COMO BLOQUEAR A PROCRASTINAÇÃO?

  1. Colocando a mão na massa! Não espere ter ânimo para começar, ele virá à medida que você progredir no seu projeto.
  2. Faça um plano.
    –  Quando você vai começar?
    –  Por onde você vai começar?
  3.  Divida a tarefa em pequenas etapas de 15 – 20 minutos e vá em frente!
  1. Pense positivo. Identifique as frases negativas que você se diz e substitua-as por afirmações positivas. Por exemplo, em vez de:

Ai, ai…Não estou com a menor vontade de fazer isto!,
Diga:
Vou colocar a mão na massa durante 20 minutos, hoje estou me sentido cheio de energia

5. Reconheça o seu fracasso e parabenize-se interiormente

UM PEQUENO TESTE

Faça duas listas. Numa indique as 5 coisas que você mais tem tendência a deixar para o dia seguinte. Depois, na outra linha, os 5 medos que o(a) impedem de realizá-las.

A palavra MEDO é soletrada assim:

Mania de
Engenhar uma
Desculpa para não
Obrar
(Autor desconhecido)

Fonte: Caderno de Exercícios para Aumentar a Autoestima
Editora Vozes

Artigos

NÃO É MAIS FORTE QUEM MAIS SUPORTA, E SIM QUEM É CAPAZ DE “SOLTAR”

É complicado soltar ou deixar ir aquilo que consideramos muito nosso, sejam sentimentos ou pessoas. Isto é, certas pedras que carregamos nas costas estão unidas a nós por um sentimento de identidade e pertencimento que se funde com nosso medo de perder algo que cremos ser tão intenso e importante.

Contudo, apesar de todo esse caos emocional nos amarrar a certas pessoas, também acabamos nos cansando de não nos valorizarem. É provável que ao perceber isto você se sinta um pouco egoísta, o que é terrível para a saúde emocional.

Sentir que ao não aguentar um pouco mais uma situação ou certas pessoas você está fracassando é algo assustadoramente comum. O fundamento deste sentimento é o medo que sentimos de enfrentar o vazio que a perda produz.
 
Dito de outra forma: sentimos que se deixamos de nos sacrificar perdemos a oportunidade de construir parte da história emocional das nossas vidas. Entretanto, o que realmente você está fazendo é se comportando da forma mais cruel possível consigo mesmo, com suas expectativas e com seus desejos.
 
O caminho de ida para a liberdade emocional é construído a partir das pedras que vamos soltando; isto é, de sentimentos e pessoas tóxicas das quais vamos nos desfazendo.

Não é mais forte quem mais suporta, e sim quem é mais capaz de “soltar”

Se não traz alegria para a sua vida… solte
Se não o ilumina nem edifica… solte
Se permanece, mas não cresce… solte
Se lhe dá segurança e assim você evita o esforço de se desenvolver… solte
Se não traz reconhecimento aos seus talentos… solte
Se não acaricia o seu ser… solte
Se não impulsiona você a decolar… solte
Se fala, mas não faz… solte
Se não há um lugar na sua vida para você… solte
Se tenta mudá-lo… solte
Se o “eu” se impõe… solte
Se são mais os desencontros que os encontros… solte
Se simplesmente não agrega para a sua vida… solte

SOLTE… a queda será muito menos dolorosa que a dor de se manter preso ao que poderia ter sido, mas não foi.
Fonte: http://www.portalraizes.com/capaz-de-soltar/
Artigos

PEGUE A ANSIEDADE PELA BOCA! ALIMENTOS QUE COMBATEM A ANSIEDADE

 Difícil atravessar as pressões do dia a dia sem sentir ansiedade. Podemos diminuí-la simplesmente incluindo alguns alimentos em nossa dieta:
 

1. Leite morno antes de dormir

Alivia a inquietação e combate a insônia, pois a proteína do leite tem efeitos relaxantes, que acalmam e induzem ao sono.

2. Laranjas

Fonte de vitamina C que reduz o cortisol – o hormônio do estresse.

3. Água

Há estudos que provam que o baixo consumo de água afeta, em média, 25% das pessoas ansiosas, maximizando seus sintomas.

4. Peixes

Os peixes, principalmente o salmão são ricos em ômega 3, um dos ácidos graxos que ajudam a manter o cortisol e a adrenalina sob controle, o que diminui a ansiedade.

5. Peito de peru

Rico em triptofano, aminoácido que dá sinais para o cérebro produzir serotonina, neurotransmissor, que quando em desequilíbrio, provoca ansiedade, irritabilidade, alterações de humor, crises de choro, e etc.

6. Proteínas

Estimulam a produção de noradrenalina e dopamina. Essas substâncias, assim como a serotonina, melhoram o humor, trazendo sensação de bem estar. Boas fontes de proteínas são encontradas nas carnes magras, iogurtes magros, peixes, ovos, derivados lácteos, nozes, soja, lentilhas e feijões.

7. Algas

As algas tem elevado teor de magnésio e triptofano, excelentes no combate à ansiedade.

8. Aveia

Alimento indutor da serotonina, principalmente a aveia em flocos grossos, porque leva mais tempo para ser digerida, e dessa forma, seu efeito relaxante e tranquilizante durará mais tempo.

9. Aspargos

Alguns casos de depressão estão associados a baixos níveis de ácido fólico. O aspargo é um vegetal rico nesse tipo de ácido. Em apenas uma xícara de aspargos, encontraremos 70% dos valores diários de ácido fólico, necessários para uma boa saúde.

10. Amêndoas (nozes, avelãs, castanhas do Pará)

Ricas em óleos saudáveis, vitaminas B2 e E, são ótimos alimentos que diminuem a ansiedade.

11. Abacate

As células cerebrais e os nervos precisam de vitaminas do complexo B para se manterem saudáveis. A deficiência de vitamina B poderá provocar ansiedade. O abacate é fonte importante dessas vitaminas, além da gordura saudável monoinsaturada.

12. Espinafre

13. Chocolate

Talvez, dos alimentos que diminuem a ansiedade, o chocolate seja o mais consumido. Porém, seu alto valor calórico deve desestimular seu consumo em grandes quantidades. Os amargos são os mais saudáveis, mesmo assim, não se deve exagerar.
 

Alimentos que devem ser evitados porque elevam a ansiedade:carboidratos de alto índice glicêmico, frituras, açúcares, bebidas alcoólicas, café em excesso.

Artigos

SOMOS AS ÚNICAS CRIATURAS NA FACE DA TERRA CAPAZES DE MUDAR NOSSA BIOLOGIA PELO QUE PENSAMOS E SENTIMOS!

“Somos as únicas criaturas na face da terra capazes de mudar nossa biologia pelo que pensamos e sentimos! Nossas células estão constantemente bisbilhotando nossos pensamentos e sendo modificadas por eles.Um surto de depressão pode arrasar seu sistema imunológico; apaixonar-se, ao contrário, pode fortificá-lo tremendamente.
A alegria e a realização nos mantém saudáveis e prolongam a vida.

A recordação de uma situação estressante, que não passa de um fio de pensamento, libera o mesmo fluxo de hormônios destrutivos que o estresse. Quem está deprimido por causa da perda de um emprego projeta tristeza por toda parte no corpo – a produção de neurotransmissores por parte do cérebro reduz-se, o nível de hormônios baixa, o ciclo de sono é interrompido, os receptores neuropeptiídicos na superfície externa das células da pele tornam-se distorcidos, as plaquetas sanguíneas ficam mais viscosas e mais propensas a formar grumos e até suas lágrimas contêm traços químicos diferentes das lagrimas de alegria.

Todo este perfil bioquímico será drasticamente alterado quando a pessoa encontra uma nova posição.
Isto reforça a grande necessidade de usar nossa consciência para criar os corpos que realmente desejamos.
A ansiedade por causa de um exame acaba passando, assim como a depressão por causa de um emprego perdido.

O processo de envelhecimento, contudo, tem que ser combatido a cada dia.
Shakespeare não estava sendo metafórico quando disse: “Nós somos feitos da mesma matéria dos sonhos.”

Você quer saber como esta seu corpo hoje?
Lembre-se do que pensou ontem. Quer saber como estará seu corpo amanhã? Olhe seus pensamentos hoje!
Ou você abre seu coração, ou algum cardiologista o fará por você”
(Deepak Chopra)

Abrace, ame e elogie, comece pelo mais simples.

Artigos

VENÇA A PORNOGRAFIA

Para vencer a pornografia, você precisa começar admitindo este problema sexual e sua incapacidade de vencê-lo sozinho. Seja franco e confesse seus pecados a Deus e a alguém de sua inteira confiança, que possa ajudá-lo psicológica e espiritualmente.

Não brinque com a tentação. Corte o mal pela raiz. Combata os maus pensamentos desde o inicio. Declare Guerra à pornografia e se empenhe em combatê-la de modo efetivo. O grande desafio é manter uma disposição constante para essa batalha e realmente desejar vencê-la;

“Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5.16)

“Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado.”
(1 João 5. 18a)

“todo aquele que comete pecado é servo do pecado.” (João 8.34)

“Se confessarmos nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1 João 1.9)

É preciso um arrependimento real, que implica confissão e abstinência de pecados físicos e mentais.
Acariciar pecados sexuais é subestimar um perigo mortal, como fez, recentemente, o “homem-crocodilo”.
Ele estava tão acostumado a lidar com animais ferozes e perigosos, que um dia subestimou uma arraia, aparentemente inofensiva, que lhe cravou um ferrão no coração, matando-o rapidamente. Isso me faz considerar que, mesmo os que se consideram livres da possibilidade de caírem em algum tipo de pecado sexual, sem vigiar sempre, pois “enganoso é o coração” (Jeremias 17.9) e “aquele, pois, que cuia estar em pé, olhe que não caia” (I Co 10.12).

ORIENTAÇÕES PARA VENCER

  •  Inicie seu dia, determinado em não ceder às tentações;
  • Visualize sua vitória a cada dia;
  • Valorize cada dia de vitória sobre o pecado.
  • Não superestime seu potencial de resistência.
  • Não subestime a tentação;
  • Fique sempre alerta às tentações sutis;
  • Sempre reconheça que você é fraco no que é mais tentado;
  • Nunca tente justificar sua rendição ao pecado;
  • Use o poder que Deus te deu para vencer o pecado;
  • Nutra sua mente com bons pensamentos;
  • Deseje e permita que Deus o liberte de seu vício sexual;
  • Desenvolva uma vida devocional perseverante com a prática da oração e meditação bíblica;
  • Encoraje os que lutam contra o pecado a perseverarem;
  • Reconheça que você é amado, sobretudo por Deus;
  • Acredite que há pessoas que podem ajudá-lo;
  • Assimile o fato de que sexo não é a maior necessidade do ser humano;
  • Realize uma minuciosa avaliação moral de si próprio;
  • Reconheça que o vício sexual é um pecado terrível e que você é incapaz de libertar-se sozinho;
  • Entregue integralmente sua vida ao Senhor Jesus Cristo;
  • Deseje sinceramente a libertação e permita que Deus o molde e o discipline pelo Seu Espírito Santo;
  • Busque conhecer e obedecer radicalmente à vontade de Deus e obedeça, radicalmente, a ela;
  • Respeite o seu próprio corpo e cuide bem dele;
  • Torne-se um exemplo para seus entes queridos;
  • Cuidado com o seu tempo livre;
  • Destrua tudo o que você possui de teor pornográfico;
  • Altere suas rotinas, que normalmente o conduziria a alguma situação tentadora;
  • Se necessário, cancele canal a cabo, revistas, acesso a Internet;
  • Evite atividades profissionais comprometedoras;
  • Nunca tente argumentar em defesa de seu pecado;
  • Ocupe sua mente com trabalho e pensamentos producentes;
  • Não exite em buscar ajuda profissional;

Lembre-se de que Deus nunca permite que sejamos tentados além de nossa resistência (1 Co 10.13);

  • Reconheça que você precisa de ajuda;
  • Creia que Deus o ama e quer libertá-lo (João 3.16; 17.17);
  • Busque o poder do Espírito Santo (Lucas 11.13)
  • Busque conhecer a vontade de Deus para sua vida (Romanos 12.1, 2; 2Ts 4.3;  1 João 2.17)
  • Ore a Deus, arrependido, confessando seus pecados e buscando perdão ( Atos 3.19; 1 João 1.9);
  • Decida-se em obedecer à Palavra de Deus (João 14.23,24);
  • Peça perdão e, SE POSSÍVEL, repare os males que tenha feito contra alguém (Lucas 6.37; 1 Pedro  5.6);
  • Ratifique sua libertação, testemunhando e evidenciando a mudança de seu comportamento (João 4.28 -42);
  • Corte as futilidades de sua vida (Mateus 5.29 -30)
  • Fuja a tentação após detectá-la ( 1 Ts 5.22; 1 Pedro 2.11);
  • Se for preciso, solicite a ajuda de alguém experiente e de sua confiança (Salmos 37.39,40; Is 50.7; Efésios 6.19; 1 Co  1.11);
  • Nunca pare nem desista de lutar contra o pecado (Salmos 119.11; 1 Co 10.12; 1 João 2.1,2,17).

RUFINO, Cláudio. Batalha contra a pornografia: em defesa da família e da igreja. Belo Horizonte: GREI, 2007. p.68-70.

Artigos

EU SEI, MAS NÃO DEVIA GRITAR E PERDER O CONTROLE

LIDANDO COM A IRA

“Exultará o meu íntimo, quando os teus lábios falarem coisas retas.” Provérbios 23:16 NKJV

No que diz respeito a lidar com a ira, eis dois princípios bíblicos importantes:

(1) Não ponha a culpa nas pessoas e nas coisas.  Pôr a culpa em algo ou alguém é uma maneira de fugir da responsabilidade enquanto apontamos o dedo para outro lado. “Se você tivesse chegado na hora, eu não teria de importuná-lo”, ou “Se você parasse de me importunar, talvez eu começasse a ser pontual”. Palavras como essas não ajudam, elas apenas antagonizam a outra pessoa, perpetuam a ira e não levam aos resultados desejados.

(2) Não use as palavras como armas ou como forma de controle. Em vez disso, analise suas emoções e expresse-as de forma saudável. Lembre-se, seu objetivo é resolver o problema e fortalecer o relacionamento e não deixar feridas que possam infeccionar.

Isso é fácil? Não! É por isso que você precisa da ajuda de Deus. A Bíblia diz que suas palavras podem abater o espírito da outra pessoa (ver Pv 18:14), partir o coração dela (ver Pv 15:4) e destruir o relacionamento (ver Pv 18:21).

Salomão disse que as palavras iradas “descem até o íntimo” (Pv 26:22 NVI). O que você diz pode viver na memória da outra pessoa a vida inteira, até o túmulo.

É isso que você quer? É certo que não!

Por outro lado, você nunca precisa lamentar ou se arrepender da ira administrada adequadamente. Aprenda a discernir entre a ira que você sente e as palavras que diz.  A ira pode revelar o que precisa ser transformado no relacionamento.

Então, peça a Deus para lhe mostrar o que precisa ser mudado — primeiro em você, e depois na outra pessoa.

Mergulhe na Palavra:

Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós. Efésios 4:31

Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.  Tiago 1:19,20

Não te apresses no teu espírito a irar-te, porque a ira repousa no íntimo dos tolos.
Eclesiastes 7:9

Escrito por Bob e Debby Gass e distribuído por © IDEFACIL – UCB Brasil – “A Palavra Para Hoje” | Todos os Direitos Reservados.

Durante o mês de julho estamos realizando uma série de palestras públicas com base nesse tema: EU SEI, MAS NÃO DEVIA!
Venha conferir!

 

 

 

 

 

Abaixo, os endereços onde serão realizadas.
CR PEDRAS
Toda segunda-feira, das 19:30 as 21:30 horas
Local: Tenda da Igreja Batista Central
Rua do Cruzeiro, 401 – entroncamento do anel viário e BR 116
Bairro: Pedras

CR KERIGMA
Toda sexta feira, das 19:30 as 21:30 horas
Local: Colégio Kerigma
Rua Professor Francisco Gonçalves,225 – por trás da Distrivídeo da Av. Antonio Sales
Bairro: Dionísio Torres

Artigos

EU SEI, MAS NÃO DEVIA FICAR ISOLADO!

Nenhum homem é uma ilha. Fomos criados por um Deus pessoal e relacional. Ele nos criou para nos amar e para que nós o amemos e nos amemos uns aos outros, e isto só acontece de forma plena quando nos relacionamos com as pessoas.

Então, por que nos isolamos?
É natural termos dias que desejamos ficar a sós; ficar com a gente mesmo, refletindo em nossa vida, conversando com nossos botões, um tempo de solitude para maior relacionamento com Deus, para descanso, e assim por diante. Mas há um tipo de isolamento que é uma atitude disfuncional, doentia.

Isolamento social é um comportamento de alienação por parte de uma pessoa, de forma voluntária ou induzida por sentimentos de rejeição.

Como reconhecer o isolamento disfuncional?
Sentimento de tristeza e de rejeição, timidez e insegurança, atitudes agressivas e hostis que afastam as pessoas, adoção de valores não aceitos pelo meio em que vivemos e afastamento voluntário.

Quais são as causas?
Distúrbios psicológicos, comportamentos antissociais, contexto familiar, experienciais sociais desagradáveis, problemas emocionais, fatores culturais e sociais e, nos dias de hoje, as redes sociais.

Quais são as consequências?
O isolamento social já não é um comportamento saudável. E se não reconhecido e tratado, torna a pessoa cada vez mais doente emocionalmente, reforçando o isolamento. Agrava os sentimentos de rejeição e baixa autoestima, favorece a tendência a desenvolver comportamentos de risco (vícios e compulsões), gera sentimento de inutilidade social, falta de propósito e significado de vida, e compromete o amadurecimento da pessoa, pois os relacionamentos são essenciais para a formação da nossa personalidade e maturidade emocional.

  1. Admitir o problema
  2. Reconhecer que precisa de ajuda e buscá-la
  3. Abrir-se para os relacionamentos, buscando ampliar os níveis de convivência
  4. Mudar atitudes que afastam as pessoas
  5. Ser humilde para saber perdoar e pedir perdão para manter os relacionamentos saudáveis.

É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se! Eclesiastes 4:9-10

Durante o mês de julho estamos realizando uma série de palestras públicas com base nesse tema: EU SEI, MAS NÃO DEVIA!
Venha conferir!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abaixo, os endereços onde serão realizadas.

CR PEDRAS
Toda segunda-feira, das 19:30 as 21:30 horas
Local: Tenda da Igreja Batista Central
Rua do Cruzeiro, 401 – entroncamento do anel viário e BR 116
Bairro: Pedras

CR KERIGMA
Toda sexta feira, das 19:30 as 21:30 horas
Local: Colégio Kerigma
Rua Professor Francisco Gonçalves,225 – por trás da Distrivídeo da Av. Antonio Sales
Bairro: Dionísio Torres

Artigos

EU SEI, MAS NÃO DEVIA ME ALIMENTAR DE PORNOGRAFIA!

Estamos rapidamente nos tornando uma sociedade pornográfica. Imagens explicitamente sexuais estão presentes em todos os aspectos da vida e lugares, desde nos anúncios comerciais, filmes, séries, novelas, música, shows de humor e, principalmente, na internet. O mundo virtual permite acesso instantâneo a uma grande quantidade e inumeráveis formas de pornografia. E o consumo de pornografia que era, até pouco tempo atrás, quase que exclusivamente feito por homens adultos, hoje tem crescido significativamente entre os jovens, mulheres, adolescentes e até crianças pela facilidade com que usam equipamentos que dão acesso à internet, curiosidade e falta de cuidado dos pais.

Mas por que a pornografia é tão poderosa? Porque promete mais sexo, melhor sexo, infinito sexo, sexo conforme os desejos, prazer intenso na hora em que o usuário quer e sem depender de ninguém.

Possui tremenda capacidade de estimular a produção da dopamina, substância química que age no do cérebro e é responsável pela sensação de prazer. Alguns consideram que a liberação dessa substância no ato sexual é maior que a proporcionada por drogas como cocaína e crack. E, ainda, acontece com a pornografia o que acontece com as drogas, cada vez mais é preciso aumentar a dose para obter a mesma quantidade de prazer. Este mecanismo leva a pessoa viciada em pornografia ao submundo do conteúdo pornográfico.
A química do cérebro é, porém, apenas parte da explicação para o problema.

Existem outros fatores que devem ser considerados no vício da pornografia. Entre eles, a sociedade contemporânea e seus valores e crenças distorcidas sobre sexo, prazer, amor e relacionamentos. A busca egoísta da própria felicidade e prazer reduzida à satisfação do desejo, faz com que as relações deixem de ser afetivas e haja uma troca do amor pelo sexo e cada qual olha para o outro como um objeto de prazer. A pessoa acostumada ao uso da pornografia acaba pouco a pouco estabelecerndo relações não saudáveis com outras pessoas.

A conduta moral pode ser deixada de lado quando se conta com a segurança do isolamento e a facilidade da autossatisfação, sem precisar estabelecer relacionamentos com outras pessoas. Pode-se, ainda, esconder o comportamento disfuncional, citando a causa biológica como meio de evitar responsabilidade moral.

Nem a espiritualidade humana escapa dos malefícios da pornografia. O impulso para obter intimidade sexual foi dado por Deus e é essencial para o ser humanos, mas é facilmente mal direcionado.  Somos  tentados a buscar “um atalho para o prazer sexual por meio da pornografia” e hoje é possível  acessar esse atalho com facilidade.

Num mundo caído, a pornografia se torna mais do que uma distração e uma distorção da intenção de Deus para a sexualidade humana. Torna-se um veneno viciador e que, ainda, rouba de Deus a glória da criação da sexualidade para ser vivida de forma prazerosa pelo ser humano.

Esta semana nas programações do Celebrando Restauração, palestra gratuita e aberta ao público.

Confira os endereços abaixo:

CR PEDRAS
Toda segunda-feira, das 19:30 as 21:30 horas
Local: Tenda da Igreja Batista Central
Rua do Cruzeiro, 401 – entroncamento do anel viário e BR 116
Bairro: Pedras

Toda sexta feira, das 19:30 as 21:30 horas
Local: Colégio Kerigma
Rua Professor Francisco Gonçalves,225 – por trás da Distrivídeo da Av. Antonio Sales
Bairro: Dionísio Torres

Mais informações através:
Fone: (85) 3444-3635 / 99745.3924
E-mail: [email protected]