QUANDO PARECE QUE É AMOR, MAS NÃO É!

imagemblogO MADA (Mulheres que Amam Demais Anônimas) criou um questionário para ajudar as pessoas a identificar se sofrem de amor disfuncional, também conhecido como codependencia emocional. A USP (Universidade de São Paulo) também desenvolveu um questionário. Veja a seguir os 2 testes:

TESTE DO MADA

  • Você se torna obsessiva nos relacionamentos?
  • Liga várias vezes para seus relacionamentos para saber com quem estão?
  • Desconfia de seus relacionamentos procurando por indícios de mulheres nos pertences de seu parceiro?
  • Olha a todo instante para o celular para saber se há alguma ligação de seu parceiro?
  • Culpa e acusa seus relacionamentos da infelicidade de sua vida?
  • Procura apenas agradar aos seus relacionamentos e esquece-se de si mesma?
  • Vê o alcance do problema?
  • Mente para disfarçar o que ocorre na relação?
  • Evita as pessoas para ocultar os seus problemas?
  • Repete atitudes para controlar a relação?
  • Sofre acidentes devido à distração?
  • Sofre mudanças de humor inexplicáveis?
  • Pratica atos irracionais?
  • Tem ataques de ira, depressão, culpa ou ressentimento?
  • Tem ataques de violência?
  • Sente ódio de si mesma e se autojustifica?
  • Sofre doenças físicas devido a enfermidades produzidas por estresse?
  • Sente-se incompreendida por todos?
  • Não consegue se divertir sem a presença de seu parceiro?
  • Sente-se exausta ao assumir mais responsabilidades num relacionamento?

Respondendo afirmativamente a mais de três questões no primeiro caso, diz o Mada, a pessoa pode estar se prejudicando mais do que se beneficiando de um relacionamento amoroso. Se respondeu SIM a muitas delas, possivelmente sofre de amor patológico ou de algum tipo de dependência emocional.

TESTE DA USP

  • Você costuma estar satisfeito com a quantidade de atenção e de tempo que dedica a seu parceiro ou faz mais do que gostaria?
  • A quantidade de atenção que você dá ao seu parceiro está sob o seu controle ou você costuma tentar diminuir esta atenção e não consegue?
  • Você mantém outros interesses e outras relações (com amigos, familiares etc.) ou abandonou pessoas e atividades em decorrência da sua vida amorosa?
  • Você continua se desenvolvendo pessoal e profissionalmente após o início de seu relacionamento?
  • Pelos critérios do Instituto de Psiquiatria da USP, quem respondeu negativamente a três perguntas ou a todas provavelmente sofre de amor patológico.

 Fonte: http://oglobo.globo.com/saude/teste-voce-sofre-de-amor-patologico-4334443#ixzz1pfQpL5K1

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas para QUANDO PARECE QUE É AMOR, MAS NÃO É!

  1. roseli duarte disse:

    como ajudar uma filha nesta situação deste amor patologico, agradeço desde já mãe preocupada e desesperada por uma pequena ajuda!!Quero ver minha filha feliz e não prisioneira de uma situação.

    • Celebrando Restauração disse:

      Oi!
      O primeiro passo é ela querer, daí muitas coisas podem mudar na vida dela
      e na dos familiares também.
      Convido você e ela a conhecerem esse programa, vale a pena, temos um grupo chamado:
      DAS: Dependentes de amor e sexo.
      Você será bem recebida e o anonimato e o sigilo são requesitos essenciais.

      Carlinha BX.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *