SUSPEITAS DESNECESSÁRIAS

Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço,e aparta o seu coração do Senhor! Jeremias 17:5511ckldydjpsa

Nosso coração é enganoso e ponto, mas, o que leva os relacionamentos de hoje em dia serem assim tão vulneráveis?

Cada dia mais vejo menos pessoas conectadas, ligadas, buscando respostas em Deus.Suspeitam desnecessariamente do motivo dos outros, isso não é bom. Em consequência podem tratar as pessoas vergonhosamente e provocar grandes feridas sem necessidades. As vezes nossas suspeitas nos levam a desconfiar de outros ou negar as tentativas deles de estabelecer um relacionamento correto conosco ou com as demais pessoas.

Se permitirmos que nossos temores moldem nossas conclusões, muitas vezes podemos provocar conflitos desnecessários e interromper possíveis relacionamentos positivos.

Muito tempo, esforços e energia são desperdiçados quando respondemos com suspeita e medo à propostas amistosas de outras pessoas. A restauração da confiança em nosso relacionamento faz parte da restauração.

Para isso precisamos definir nossas expectativas e ingressar nos comprometimentos com cautela.

NÃO somos apenas responsáveis por aquilo que a outra pessoa conhece a respeito.

SOMOS pessoalmente responsáveis por nossa própria honestidade perante os olhos de DEUS.

Esse comprometimento é relacional não devem ser assumidos levianamente. Mas, quando, os fazemos, devemos ser cuidadosos para manter. Resumindo podemos buscar relacionamentos saudáveis e impor limites a eles, isso não é mal, se afastar ou romper com o outro, significa libertar-se da agonia do envolvimento. Isso quando trata-se de abuso ou violência doméstica. O desligamento deve ser feito de forma saudável, com amor, pois quanto mais os rejeitamos, mais vamos imitá-los.

Dica da semana: Que tal repensar seus relacionamentos e a maneira como tem agido?

Por Carlinha BX

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *