SÉRIE CAMINHO DA RESTAURAÇÃO – PASSO DO REPARTIR

“Mas a vida não vale nada, a menos que eu a viva  para fazer a obra que o Senhor Jesus me destinou –a obra  de contar aos outros a Boa Nova da graça e do amor de Deus.” 
Atos. 20:24

Há dois mil anos atrás, Jesus subiu em uma colina, sentou-se e pregou o maior de todos os sermões – O Sermão da Montanha. Ele começou o mais famoso de todos os sermões dizendo o seguinte: “Bem-aventurados, ou seja, felizes, realizados, são aqueles que seguem esses oito passos”, nós os chamamos hoje de “As Bem-aventuranças”. Os oito passos do Caminho da Restauração têm muita similaridade com as Bem-aventuranças.

PASSO DA REALIDADE

  • Passo 1
    Admitimos ser impotentes diante de nossos traumas, nossos vícios e nossos comportamentos compulsivos que tornaram nossas vidas ingovernáveis.

“Pois eu sei o que é bom não vive em mim, isso é, na minha natureza humana.Porque, ainda que a vontade de fazer o bem esteja em mim, eu não consigo fazê-lo.” ( Romanos 7:18 BLH)

Bem-aventurado os pobres em espírito…”

Reconheço que não sou Deus. Admito que sou impotente para controlar minha tendência de fazer o que é errado e que a minha vida está fora de controle.

PASSO DA ESPERANÇA

  • Passo 02 -Viemos a acreditar que nosso  Poder Superior Jesus poderia restituir nossa sanidade.

“Porque Deus está operando em vocês, ajudando-os a desejar obedecer-lhe, e depois ajudando-os a fazer aquilo que Ele quer.”  (Filipenses 2:13 BV)

“Felizes os que choram, pois Deus os consolará.”

Eu acredito de todo o coração que Deus existe, que Ele se importa comigo e que tem o poder para me ajudar em minha restauração.

PASSO DA ENTREGA

  • Passo 03 – Decidimos entregar nossas vidas e nossas vontades aos cuidados de Deus.

“Se você confessar com a sua boca que Jesus é o Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo” (Romanos 10:9)

“Felizes os humildes.”

Conscientemente escolho confiar toda minha vida e vontade aos cuidados e controle de Cristo.

PASSO DA CORAGEM

  • Passo 4
    Fizemos um minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos.

“Examinemos seriamente o que temos feito e voltemos para o Senhor.” (Lamentações 3:40 NTLH)

  • Passo 5
    Admitimos para Deus, para nós mesmos e para outro ser humano a natureza exata dos nossos erros.

“Confessem suas falhas uns aos outro e orem uns pelos outros, afim de que possam ser curados”. (Tiago 5:16a BV)

“Felizes os que têm o coração puro.”

Unilateral e abertamente analiso e confesso minhas falhas a mim mesmo, a Deus e a alguém da minha confiança.

 PASSO DA HUMILDADE

  • Passo 6
    Dispusemo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter.

“E então, quando vocês sentirem a sua indignidade diante do Senhor, Ele levantará, animará e ajudará vocês.” (Tiago 4:10 BV)

  • Passo 7
    Humildemente pedimos a Deus que removesse todas nossas imperfeições.

“Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, Ele cumprirá a Sua promessa e fará o que é correto. Ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade.”
(I João 1:9 NTLH)

“Felizes os que têm fome e sede de fazer a vontade de Deus.”

Peço, humildemente, que Deus remova meus defeitos de caráter e, voluntariamente, me submeto a cada mudança que Ele queira fazer em minha vida.

PASSO DO PERDÃO

  • Passo 8
    Fizemos uma relação de todas as pessoas a quem prejudicamos e dispusemo-nos a fazer reparações a todas elas.

“Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles.” (Lucas 6:31)

  • Passo 9
    Fizemos reparações diretas a tais pessoas sempre que possível, exceto quando faze-lo implicasse prejudicá-las ou a terceiros.

“Não julguem, e vocês não serão julgados. Não condenem, e não serão condenados. Perdoem, e serão perdoados”. (Lucas 6:37)

“Felizes os que têm misericórdia dos outros. Felizes os que trabalham pela paz entre as pessoas.”

Examino todos os meus relacionamentos, oferecendo perdão àqueles que me fizeram mal e reparando os danos que causei a outras pessoas, exceto quando fazê-lo provocaria mais danos a essas pessoas ou a terceiros.

PASSO DO CRESCIMENTO

  • Passo 10
    Continuamos a fazer o inventário pessoal e, quando estávamos errados, nós o admitimos prontamente.

“Portanto, tenham cuidado. Se você está pensando:” Eu nunca faria uma coisa dessas”, que isso lhe sirva de advertência. Porque você também pode cair em pecado.” (I Coríntios 10:12 BV)

  • Passo 11
    Procuramos, através da oração e da meditação, melhorar o nosso contato consciente com Deus, pedindo apenas para conhecer a Sua vontade para nossas vidas e forças para realizá-la.

“Que a mensagem de Cristo, com toda a sua riqueza, viva no coração de vocês!” (Colossenses 3:16 NTLH)

Reservo, diariamente, um tempo com Deus para auto-avaliação, leitura da Bíblia e oração, a fim de conhecer a Deus e a Sua vontade para minha vida e obter a força para segui-la.

 PASSO DO REPARTIR

“Felizes os que sofrem perseguição por fazerem a vontade de Deus.”

Anuncio, pelo meu exemplo como pelas minhas palavras, estas Boas-Novas a outros, conforme agradar a Deus me usar.

Neste passo, Deus quer usar as minhas experiências para ajudar outras pessoas. Ele quer reciclar a dor em nossa vida para o beneficio de outros.

  • Passo 12
    Tendo experimentado um despertar espiritual como resultado destes passos, procuramos levar esta mensagem a outros e praticar esses princípios em todos os aspectos da nossa vida.

“Vocês receberam de graça, dêem também de graça.”(Mateus 10:8)

I.  POR QUE DEUS TEM PERMITIDO A MINHA DOR?

  1. Ele tem me dado capacidade de escolha. Deus nos dá liberdade de escolha a todos os seres humanos e nossas escolhas erradas prejudicam outros e as escolhas erradas dos outros nos ferem.
  2. Para chamar a minha atenção. A dor é uma luz de advertência, a dor não é o seu problema, ela é apenas o sintoma do seu problema. (Pv 20:30, II Co 7:9, Jn 2:7)
  3. Para ensinar-me a depender dEle. Deus usa a dor, a perda e o prejuízo para nos ensinar que Ele é tudo o que precisamos. (II Co 1:8-10, Sl 119:71)
  4. Para dar-me um ministério que sirva a outros. A dor nos prepara para servir, ela nos torna humildes, empáticos e sensíveis às necessidades dos outros. Deus nunca desperdiça uma dor. (II Co 1:4, Gn 50:20)

II.   COMO USAR A MINHA DOR PARA AJUDAR A OUTROS?

Você precisa estar preparado para dar uma resposta sobre como você foi ou está sendo restaurado. (I Pedro 3:15) Você tem uma história para contar e Deus não quer que você desperdice sua dor. Então, como é que você compartilha sua história?

  1. Seja humilde. Compartilhe sua história como um mendigo dizendo a outro mendigo onde encontrar comida.
  2. Seja honesto. Seja honesto acerca das suas feridas e falhas, sendo transparente e vulnerável. Seja real.
  3. Não faça uma preleção. Apenas compartilhe a sua história. Você é uma testemunha e não um advogado de defesa.

CONCLUSÃO:

Ao terminarmos este passo do Caminho da Restauração, estamos diante de quatro passos de ação:

1. Entregue sua vida a Jesus se você ainda não o fez
2. Escreva sua história.
3. Comprometa-se com a igreja a fim de receber apoio (não somente freqüência, mas  compromissos e relacionamentos).
4. Peça a Deus para lhe mostrar alguém com quem compartilhar sua história.

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *